Home | Informativos Técnicos | Calagem na Superfície em Sistema de Plantio Direto

Calagem na Superfície em Sistema de Plantio Direto

Tamanho da fonte: Decrease font Enlarge font
image

Para a correção da acidez do solo no sistema de plantio direto, o calcário é distribuído na superfície sem incorporação. A eficiência da aplicação superficial de calcário em solo sob plantio direto, particularmente na correção do subsolo, é questionada. Resultados de pesquisas realizadas com solos brasileiros indicaram pequeno ou nenhum movimento do calcário além do local de sua aplicação. Entretanto, em outros trabalhos realizados no Brasil e em regiões subtropicais úmidas foram observados aumento de pH e cálcio trocável e redução de alumínio trocável em camadas do subsolo com a aplicação de calcário na superfície.

Trabalhos recentes têm indicado que a necessidade de calcário no sistema de plantio direto talvez seja menor do que no sistema convencional de preparo. Faltam informações, porém, a respeito da reação do calcário aplicado na superfície do solo e de critérios de recomendação de calagem, com base na análise química do solo, em sistema de plantio direto.

Material e Métodos O experimento foi realizado no município de Ponta Grossa, PR, em um latossolo vermelho-escuro distrófico de textura média, há quinze anos sob plantio direto. Os tratamentos constaram da aplicação de quatro doses de calcário dolomítico (0; 2; 4 e 6 t/ha), calculadas para elevar a saturação por bases da camada de 0-20 cm de solo a aproximadamente 50%, 70% e 90%. O calcário foi aplicado em julho de 1993, a lanço, na superfície do solo. No verão foram realizados quatro cultivos de soja (1993/94, 1995/96, 1996/97 e 1997/98) e um de milho (1994/95). No inverno foram realizados consórcio de ervilhaca/aveia-preta em 1994, pousio em 1995, cultivo de trigo em 1996 e triticale em 1997.

As amostras de solo foram coletadas aos 12, 18, 28, 40 e 58 meses após a calagem. As profundidades amostradas foram 0-5, 5-10, 10-20, 20-40 e 40-60 cm. As amostras até a profundidade de 20 cm foram coletadas com trado calador e de 20-60 cm com trado holandês. Os parâmetros analisados foram pH, H++Al3+, Al3+ , Ca2+, Mg2+ e K+.

Resultados e Discussão O estudo dos resultados de análise química do solo não mostrou interação significativa entre doses de calcário e época de amostragem para pH, acidez potencial (H+Al), Ca+Mg trocáveis e saturação por bases, nas cinco profundidades avaliadas, sugerindo que as modificações nas características químicas do solo foram semelhantes nas diferentes épocas de amostragem.

A calagem proporcionou não só aumentos significativos no pH, Ca + Mg trocáveis e saturação por bases mas também redução significativa nos teores de H + Al, em todas as profundidades estudadas, inclusive nas de 20-40 e 40-60 cm. Esses resultados mostram claramente os efeitos positivos do calcário aplicado na superfície sobre a correção da acidez do subsolo.

Embora esse resultado seja discordante de outras pesquisas, diversos mecanismos podem estar envolvidos na correção da acidez de subsolos pela calagem na superfície, em sistema de plantio direto. A formação e a migração de Ca(HCO3)2 e Mg(HCO3)2 em camadas mais profundas de solo constituem uma possível explicação, tendo em vista que, no sistema de plantio direto, a acidez superficial é diminuída por diferentes mecanismos, dentre os quais os resíduos orgânicos desempenham importante papel. A movimentação de Ca + Mg trocáveis do solo e a redução do Al trocável no subsolo também podem estar relacionadas com o mecanismo de lixiviação, por meio da formação de complexos orgânicos solúveis em água presentes nos restos das plantas. Independentemente do mecanismo envolvido, os resultados mostram ser possível evitar a interrupção do plantio direto por causa da acidez do subsolo, mediante a aplicação de calcário na superfície.

A produção de grãos das culturas em rotação no sistema de plantio direto, dependendo da aplicação de calcário, é mostrada no Quadro 1. A resposta significativa quanto à produção acumulada (Figura 1) foi utilizada para estimativa das doses de máxima eficiência técnica (MET) e máxima eficiência econômica (MEE). A dose calculada para a obtenção da MEE seria a recomendada pelo método de saturação por bases para 65%, em amostra de solo coletada na profundidade de 0-20 cm.

É interessante lembrar que essa saturação por bases de 65% na camada de 0-20 cm, estimada para a MEE, foi obtida na camada de 0-5 cm. A análise de correlação entre a produção acumulada de grãos e os atributos da fertilidade do solo considerando as diferentes profundidades avaliadas, mostrou a importância, estatisticamente significativa e positiva, do aumento do pH, Ca trocável e saturação por bases e da redução do Al trocável, na profundidade de 0-5 cm, para a produção acumulada de grãos das culturas em rotação no plantio direto. Com base nesses resultados e nos efeitos das doses de calcário sobre os valores de pH em CaCl2 e saturação por bases do solo, pode-se inferir que, de acordo com a dose de máxima eficiência econômica, a calagem na superfície em sistema de plantio direto somente deve ser recomendada para solo com pH em CaCl2 inferior a 5,6 ou saturação por bases inferior a 65%, na camada de 0-5 cm.

Conclusões:

O calcário aplicado na superfície apresenta eficiência na correção da acidez de camadas superficiais do solo e do subsolo, aumentando a produção acumulada de grãos de culturas em rotação no sistema de plantio direto.

O método da elevação da saturação por bases para 65%, em amostra de solo coletada na profundidade de 0-20 cm, apresenta estimativa adequada para recomendação de calcário na superfície em sistema de plantio direto, mas a calagem superficial somente deve ser recomendada para solo com pH (CaCl2) inferior a 5,6 ou saturação por bases inferior a 65%, na camada de 0-5 cm.

Adicionar para: Add to your del.icio.us del.icio.us | Digg this story Digg
...
  • email Enviar a um amigo
  • print Versão p/ impressão
  • Plain text Texto